Pular para o conteúdo principal

Não quer entrar para tomar uma xícara de café?


A crise econômica nos EUA e na Europa está influenciando o mercado de café e gerando uma tendência curiosa. 

Geralmente em tempos de recessão, a economia entra no que os economistas chamam de Fator Latte:  se você deixar de tomar o seu latte, espresso, cappuccino por dia no Starbucks ou naquele lugar perto do trabalho, você economiza não sei quantos (muitos) mil dólares no final do ano. 

Mas recentemente tudo mudou e aponta-se a uma tendência: as pessoas não desistiram de tomar café, mas passaram a tomar em casa, com o cuidado de não comprometer a qualidade.

As máquinas de espresso estão se popularizando muito rápido e há uma explosão de vendas nas máquinas que funcionam com cápsulas, como as da Nespresso.

Mas será que os cafés em cápsulas serão o futuro do café feito em casa?

Segundo pesquisa do instituto Euromonitor, não.  Com o aumento da concorrência das máquinas de café em cápsulas, os preços estão despencando, fazendo com que as pessoas preterem as famosas cafeteiras de filtro de papel. O ápice se dará em 2014, quando as máquinas com cápsulas serão o método caseiro mais popular de se fazer café. Mas o fato é que hoje essas máquinas estão introduzindo muita gente no mercado gourmet de café, sabendo escolher blends, origem e procedência.

Já as máquinas de espresso estão sofrendo uma "premiumização", se tornando um produto premium.

Ou seja, daqui há alguns anos os consumidores de máquinas com cápsulas se sentirão amarrados a uma determinada marca, sem poder trocar ou provar outros tipos de cafés e passarão a desejar um produto mais premium, podendo gastar um pouco mais com uma cafeteira espresso, livres para escolher e comprar o grão que quiser e onde bem entender.

Ou seja, o mercado de café segue inovando e se mostrando bem dinâmico mesmo em tempos de crise.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

É... O tomate tá ficando caro no mundo todo!!

1000 coisas para comer antes de morrer

#0006 Pierog Comida típica polonesa, esse salgado é uma mistura do nosso pastel com um grande ravioli semi-cozido. No recheio, repolho, cebolinha, batatas e carne e cogumelos portobello. Além de versões mais modernas com morangos e confitures. Tradicionalíssimo na Europa central desde o século XVII e patrimônio gastronômico da Polônia.

Pão de Queijo feito em casa. Direto de Minas!

Outro dia comentei aqui no blog sobre a General Mills que irá descontinuar (adoro essa palavra) as marcas de pães e massas, incluindo a salvadora-do-lanche-da-tarde Forno de Minas . Pois bem, o leitor Rubens havia comentado o post, totalmente revoltado, com o sofrimento que ele tinha aqui em São Paulo de comer o verdadeiro pão de queijo mineiro. Detalhe: ele é mineiro. Ele comentou do pão de queijo caseiro da mãe dele. Pedi a receita e não é que a Dona Odete liberou pra gente?? Segue a receita do pão de queijo caseiro, feito lá em Minas... E que parece sensacional. Ainda não fiz, mas já está na listinhas de coisas para se fazer nos próximos finais de semana! [a receita segue descrita conforme foi enviada, para não perdermos nenhum detalhe!] Pão de Queijo da D. Odete Ingredientes: 1 copo (americano) de óleo 1 copo (americano) de leite 5 ovos 1kg de Polvilho azedo 1 colher (chá) sal 1 prato de queijo ralado 1 copo (americano) de águ