Pular para o conteúdo principal

Frio? É Sopa!

Honoré Daumier (1808-1879), La Soupe. Gravura. Museu do Louvre.

A sopa é um prato universal da cozinha. Todas as culturas e todos os povos possuem uma boa receita de sopa que conta uma história.

Nós mesmos temos aquelas lembranças de infância, seja com a canja que nossa vó servia quando ficavamos doentes ou aquele caldo cremoso e cheiroso que nossas mães faziam em dias mais frios.

E, quem diria, ela já foi um prato rejeitado, feito só pelas pessoas mais pobres. Restos de legumes, vegetais e, com sorte, pedaços de carnes eram misturados em uma panela grande com água fervente para render para a família toda e durante alguns dias. As vezes era a única refeição dessas pessoas.

Mas tudo mudou na Idade Média, mais precisamente no século XII nos Países Baixos.

A palavra "sopa" vem do francês "soupe", que, por sua vez, vem do holandês "sopen". Sopen significa "molhar". Porque? Pq na época eram colocadas fatias grossas de pão em um prato e derramavam caldos de legumes e carne sobre o pão. E, com isso, conquistou toda a idade média, fazendo o prato muito popular entre todas as classes sociais.

De lá pra cá ela se transformou, cada povo fez sua combinação com seus ingredientes e especialidade e acabou se transformando em diversos tipos, como gaspacho, caldos cremosos, caldo verde português, bouillabaisse, minestrone...

E é um minestrone, originário da Itália, que se transformou em uma das minhas sopas prediletas. A receita abaixo é do Jamie Oliver e foi publicada no seu primeiro livro, "Chef Sem Mistérios". 

 

Minestrone (Jamie Oliver)


Ingredientes:

10 tomates maduros
3 cenouras médias
2 alhos-poró (ou alho francês)
5 talos de salsão (ou aipo)
2 cebolas roxas
1 repolho
(usei meio repolho roxo e meio verde)
1 colher (sopa) de azeite de oliva (usei, obviamente, mais! haha)
2 dentes de alho fatiados bem fininho
1 colher (sopa) de alecrim picado
850ml de caldo de presunto ou pernil
(usei carne, mas pode ser tb de galinha ou vegetais)
3 punhados de manjericão (usei 1)
170g de espaguete
(quebre bem fininho socando num pano com martelinho de carne. Pode usar integral ou ainda macarrãozinho para sopa)
Sal e pimenta-do-reino moída na hora
Azeite extravirgem de Oliva
Queijo Parmesão ralado


Preparo:

É o minestrone do Pique:
Despele os tomates e pique-os em cubinhos. Pique as cenouras. Pegue o talo do alho-poró e pique. Retire as fibras do talo do salsão e pique os talos. Pique as cebolas. Pique grosseiramente o repolho.

Obs: as folhas do salsão e do alho-poró vc pode utilizar em outras receitas. Aqui, só usamos os talos.

Refogue no azeite de oliva a cenoura, o alho-poró, o salsão, a cebola, o alho e o alecrim em fogo médio por uns 15 minutos até ficarem macios. Junte os tomates e cozinhe por mais 2 minutos. Adicione o caldo (com o sal) e deixe cozinhar em fogo baixo por mais15 minutos a partir do ponto que levantar fervura. Acrescente o repolho, tampe a panela e deixe mais 10 minutos. Junte o manjericão e o macarrãozinho e deixe cozinhar por mais uns 5 minutos. Prove e finalize o tempero.

Sirva em um bom azeite de oliva, com pimenta-do-reino e com o parmesão ralado. 

Rende 6 porções.


 

Comentários

Rubens Torres disse…
ummmm... adoro molhar fatias de pão ou torrada numa sopa bem gostosa e pelando de quente...
No frio não tem nada melhor!!!
Anônimo disse…
Você precisa colocar as fotos dos pratos (feitos por você) nesses posts de receitas!
Depois vou te mandar fotos da sopa de frascarello que fizemos semana passada no friozinho de Juiz.
Auki disse…
Ah! Eu sei! mas tem receitas que preciso postar pra poder levar a receita pra cima e pra baixo... e não consigo tirar a foto!!

Ou ainda não dá tempo de tirar foto! hahahaahah


Sopa de Frascarello?? hmmmm... Me parece bem bom....
Laura Friche disse…
Meu filho e meu marido adoraram. Eu fiz muito minestrone, mas não sobrou NA-DA pra contar história!

Adorei o blog!!! :)

Postagens mais visitadas deste blog

É... O tomate tá ficando caro no mundo todo!!

Nova York levando café a sério

A dinâmica presente no DNA de Nova York se mostra presente também na cena de cafés especiais.   A cada ano que passa fica evidente a vocação de Nova York para, assim como Porltand, Seatle e São Francisco, ser um ponto de referência de cafés especiais.   Visitei e re-visitei nas últimas duas semanas aproximadamente 30 cafés especiais em Nova York além de lugares onde o nova-iorquino consome boa parte da bebida como Mc Donalds, Dunkin Donuts e, claro, Starbucks.   Gorjetas   Uma coisa que me chamou atenção esse ano foi a gorjeta. Culturalmente, as gorjetas variam de 10 a 15% do valor do pedido. Quase todos os cafés de NY hoje usam um iPad como POS ou ponto de venda (a nova geração da tela da caixa registradora) e simplesmente giram a tela para o consumidor colocar o quanto gostaria de dar de gorjeta.   É fato que muita gente nos EUA vive com o dinheiro dessas gorjetas, que é muitas vezes maior que o valor do salário. Mas aqueles 10 ou 15% tradicionais estão virando coisa do passado. Algu