Pular para o conteúdo principal

Pra onde vamos?

Tendências na Austrália, refletidas pelo mundo

Enquanto o Brasil e a cozinha sul americana brilha no mundo gastronômico, com Alex Atala e Gastón Acurio como suas principais estrelas, a Austrália está em uma fase pensativa em como ela é e como ela quer ser vista gastronomicamente.

Restaurantes e chefs novos, sucesso em realities-shows na TV, Chefs celebridades e uma briga acirrada na disputa de melhor restaurante da Austrália.

Se observa também algumas tendências na maneira de se comer fora de casa:

Novas vozes, Nova comida

Novos chefs estão deixando a tradição de lado e se aventurando em novos pratos, em uma cozinha contemporânea onde receitas de família perdem cada vez mais espaços para novas criações.

Carne, carne, carne

Apesar da Austrália ter uma das melhores carnes do mundo, carnes como as da Argentina e Brasil - e como elas são preparadas – estão deixando o simples steak no chinelo.

Migração

Influências gastronômica deixaram a Europa e passaram a vir do México, América do Sul e ainda mais da Ásia.

Novos pratos, literalmente

Prato tá fora de moda. O que pega agora é servir em tábuas de madeiras, pedaços de pedra, bambu e em outras criativas bases.

Gastronomia Pós-molecular

Cozinha não é laboratório de ciência (deixe isso pro Adrià), mas está se especializando em terapia, tentando unir e achar novas conexões entre o mar e terra num mesmo prato.

Restaurantes pop-ups pra sempre

Restaurantes que aparecem da noite pro dia e com o ar de que são temporários estão ficando permanentes. É o caso de um restaurante pop-up aqui de Sydney, ambientalmente corretíssimo, que se mantém a base de bio-diesel, tudo certificado e reutilizado. Fez sucesso e ficou permanente.

Aonde eu tô?

Bar que serve comida ou restaurantes com bar? Não se sabe mais. Bares estão se sofisticando bastante no menu e restaurantes triplicam a carta de bebidas.

Novos precintos

Chefs famosos abrem seus resturantes em shoppings centers ou casinos (muito comuns aqui na Austrália) de olho no dim dim dos seus freqüentadores. Restaurantes de rua continuam, mas deixam de ser a vaca leiteira dos restaurateurs e chefs.

Todas essas mudanças estão indo em direção a algo. Ninguém sabe onde vai parar ou se vai parar. Resta pular dentro desse trem em movimento e ver o que acontece. Mas, ao que parece, essa ebolição não tem cara de que vai esfriar tão cedo...

*Com pesquisa e informações do Sydney Morning Herald e Sydney International Food Festival.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

É... O tomate tá ficando caro no mundo todo!!

Nova York levando café a sério

A dinâmica presente no DNA de Nova York se mostra presente também na cena de cafés especiais.   A cada ano que passa fica evidente a vocação de Nova York para, assim como Porltand, Seatle e São Francisco, ser um ponto de referência de cafés especiais.   Visitei e re-visitei nas últimas duas semanas aproximadamente 30 cafés especiais em Nova York além de lugares onde o nova-iorquino consome boa parte da bebida como Mc Donalds, Dunkin Donuts e, claro, Starbucks.   Gorjetas   Uma coisa que me chamou atenção esse ano foi a gorjeta. Culturalmente, as gorjetas variam de 10 a 15% do valor do pedido. Quase todos os cafés de NY hoje usam um iPad como POS ou ponto de venda (a nova geração da tela da caixa registradora) e simplesmente giram a tela para o consumidor colocar o quanto gostaria de dar de gorjeta.   É fato que muita gente nos EUA vive com o dinheiro dessas gorjetas, que é muitas vezes maior que o valor do salário. Mas aqueles 10 ou 15% tradicionais estão virando coisa do passado. Algu

Torta de Ameixas da Marian Burros

Entre 1983 e 1989, o The New York Times publicou durante os meses de setembro uma receita de torta de ameixas da chef Mariam Burros. Em 1989, o editor resolveu que seria o último ano que essa receita seria publicada no jornal. No ano seguinte, uma enxurrada de cartas pedindo a publicação da receita fez com que o jornal voltasse a publicar. Desde então, todos os anos, em setembro, a receita volta a ser publicada tradicionalmente no NYT. Em uma enquete há 5 anos atrás para escolher a receita favorita dos leitores, essa torta de ameixa foi eleita com 3 vezes mais votos que a segunda colocada. De onde vem esse apego? Talvez pela simplicidade da receita e por quase zero chances de dar errada. Ou talvez por ser tão versátil e substituir as ameixas por qualquer outra fruta. De fato, é muito simples, rápido e o resultado surpreende. Torta de Ameixas da Marian Burros Ingredientes: - 3/4 de uma xícara de açúcar (ou 130g) - 1/2 xícara de manteiga sem sal (ou 115g), em temperatura ambiente. - 1