Pular para o conteúdo principal

Pra onde vamos?

Tendências na Austrália, refletidas pelo mundo

Enquanto o Brasil e a cozinha sul americana brilha no mundo gastronômico, com Alex Atala e Gastón Acurio como suas principais estrelas, a Austrália está em uma fase pensativa em como ela é e como ela quer ser vista gastronomicamente.

Restaurantes e chefs novos, sucesso em realities-shows na TV, Chefs celebridades e uma briga acirrada na disputa de melhor restaurante da Austrália.

Se observa também algumas tendências na maneira de se comer fora de casa:

Novas vozes, Nova comida

Novos chefs estão deixando a tradição de lado e se aventurando em novos pratos, em uma cozinha contemporânea onde receitas de família perdem cada vez mais espaços para novas criações.

Carne, carne, carne

Apesar da Austrália ter uma das melhores carnes do mundo, carnes como as da Argentina e Brasil - e como elas são preparadas – estão deixando o simples steak no chinelo.

Migração

Influências gastronômica deixaram a Europa e passaram a vir do México, América do Sul e ainda mais da Ásia.

Novos pratos, literalmente

Prato tá fora de moda. O que pega agora é servir em tábuas de madeiras, pedaços de pedra, bambu e em outras criativas bases.

Gastronomia Pós-molecular

Cozinha não é laboratório de ciência (deixe isso pro Adrià), mas está se especializando em terapia, tentando unir e achar novas conexões entre o mar e terra num mesmo prato.

Restaurantes pop-ups pra sempre

Restaurantes que aparecem da noite pro dia e com o ar de que são temporários estão ficando permanentes. É o caso de um restaurante pop-up aqui de Sydney, ambientalmente corretíssimo, que se mantém a base de bio-diesel, tudo certificado e reutilizado. Fez sucesso e ficou permanente.

Aonde eu tô?

Bar que serve comida ou restaurantes com bar? Não se sabe mais. Bares estão se sofisticando bastante no menu e restaurantes triplicam a carta de bebidas.

Novos precintos

Chefs famosos abrem seus resturantes em shoppings centers ou casinos (muito comuns aqui na Austrália) de olho no dim dim dos seus freqüentadores. Restaurantes de rua continuam, mas deixam de ser a vaca leiteira dos restaurateurs e chefs.

Todas essas mudanças estão indo em direção a algo. Ninguém sabe onde vai parar ou se vai parar. Resta pular dentro desse trem em movimento e ver o que acontece. Mas, ao que parece, essa ebolição não tem cara de que vai esfriar tão cedo...

*Com pesquisa e informações do Sydney Morning Herald e Sydney International Food Festival.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

É... O tomate tá ficando caro no mundo todo!!

1000 coisas para comer antes de morrer

#0006 Pierog Comida típica polonesa, esse salgado é uma mistura do nosso pastel com um grande ravioli semi-cozido. No recheio, repolho, cebolinha, batatas e carne e cogumelos portobello. Além de versões mais modernas com morangos e confitures. Tradicionalíssimo na Europa central desde o século XVII e patrimônio gastronômico da Polônia.

Pão de Queijo feito em casa. Direto de Minas!

Outro dia comentei aqui no blog sobre a General Mills que irá descontinuar (adoro essa palavra) as marcas de pães e massas, incluindo a salvadora-do-lanche-da-tarde Forno de Minas . Pois bem, o leitor Rubens havia comentado o post, totalmente revoltado, com o sofrimento que ele tinha aqui em São Paulo de comer o verdadeiro pão de queijo mineiro. Detalhe: ele é mineiro. Ele comentou do pão de queijo caseiro da mãe dele. Pedi a receita e não é que a Dona Odete liberou pra gente?? Segue a receita do pão de queijo caseiro, feito lá em Minas... E que parece sensacional. Ainda não fiz, mas já está na listinhas de coisas para se fazer nos próximos finais de semana! [a receita segue descrita conforme foi enviada, para não perdermos nenhum detalhe!] Pão de Queijo da D. Odete Ingredientes: 1 copo (americano) de óleo 1 copo (americano) de leite 5 ovos 1kg de Polvilho azedo 1 colher (chá) sal 1 prato de queijo ralado 1 copo (americano) de águ